O uso da tecnologia gerencial representa um grande diferencial quando se trata da administração pública. Não só os servidores ganham, mas sobretudo o cidadão, que consegue ser atendido com mais agilidade, qualidade, além de ter mais transparência nos serviços que são prestados a ele.

No entanto, é preciso cuidado na hora de escolher o sistema, quando se trata da gestão de recursos públicos. Por se tratar de uma área delicada, que lida diretamente com o orçamento e a correta alocação dos recursos, é preciso saber como fazer a administração de maneira transparente e eficiente.

Neste artigo, você verá justamente como podem ser definidos os recursos públicos, como a gestão pode ser executada e as principais razões para otimizar o processo!

O que são recursos públicos?

Os recursos públicos são insumos utilizados nas ações governamentais, responsáveis por trazer impacto à sociedade. A arrecadação acontece por meio do sistema tributário, que cobra impostos, taxas e também contribuição.

Pensando em uma divisão justa, o sistema deve funcionar de maneira distributiva, impondo as taxas e contribuições de acordo com a renda de cada público. Sobre a sua finalidade, devemos entender os recursos públicos como meios que promovem o bem-estar, mas também o desenvolvimento humano de maneira sustentável, entre outras propostas.

Ou seja, ele não é apenas o provedor da máquina pública, mas a atividade base para as ações que serão trabalhadas no âmbito administrativo do governo. Vale lembrar que os recursos públicos podem ser divididos em algumas áreas, como:

  • recursos financeiros: orçamento utilizado para aquisição de outros recursos;
  • pessoas: constituído pela força de trabalho, servidores públicos de diferentes hierarquias;
  • patrimônio físico: contempla instalações, bem como equipamentos e outros materiais utilizados pela força de trabalho;
  • recursos institucionais: abrange as informações e recursos informáticos;
  • recursos simbólicos: representados pelas imagens, marcas, símbolos;
  • recursos tecnológicos: focado em tecnologias, conhecimento, patentes, entre outros.

Todos esses tipos de recursos apresentados devem estar alinhados. Por isso, se faz necessária uma gestão qualificada, que estabeleça princípios que ajudarão a promover a efetividade de todos os sistemas, tendo como base resultados, foco no cidadão, melhorias constantes e transparência.

Como fazer a gestão eficiente dos recursos públicos?

A gestão eficiente de recursos públicos deve ter como perspectiva uma visão de todo o sistema público, tendo como suporte regras previamente definidas, de acordo com a legislação vigente de cada repartição. Para garantir a eficácia no processo, algumas ações são especialmente importantes. Confira quais são elas, a seguir!

Planejamento

A boa gestão dos recursos públicos começa pelo planejamento. Será esse documento que trará o controle de todas as etapas envolvidas no processo de gestão de recursos públicos, especialmente, no que diz respeito aos custos.

Além disso, ele fará com que sejam discriminados quem será responsável em cada etapa de um processo governamental, bem como trará a lista de ferramentas a serem utilizadas.

No documento, serão dimensionados, de maneira qualitativa e quantitativa, os recursos necessários em cada ação executada pelo poder público. Isso contribui efetivamente para a eficácia do trabalho e economia de recursos.

Organização dos dados

Depois de planejar, é hora de fazer a organização dos dados. Isso inclui reunir informações de todos os tipos para tornar os processos mais claros e permitir que os servidores sejam integrados, facilitando a consulta de dados e, quando necessário, o repasse para diferentes equipes.

Nesse caso em específico, é fundamental que todas as áreas estejam com informações completas. O que isso significa, exatamente? A reunião dos dados deve ser voltada para ajudar no compliance das contas da unidade federativa, mas também facilitar a alocação de recursos como um todo.

Definição de metas

Nessa fase, é importante definir metas e identificar as melhores formas de prospectar os recursos essenciais. A ideia é alocar corretamente os recursos públicos para cada fase do projeto.

É muito importante lembrar que o propósito dos órgãos governamentais é prestar serviços que sejam favoráveis ao bem coletivo. Sendo assim, é essencial ter uma organização pública voltada para a questão do grupo, no caso, a população.

Por que otimizar os recursos públicos com a tecnologia?

Quando se trata da gestão de recursos públicos, o uso da tecnologia ajuda a modelar sistemas que contribuem para a eficácia, bem como foco em resultados para os cidadãos, melhoria contínua e transparência na gestão pública dos bens. Aliás, a questão vai muito além, e é importante destacar que o processo de informatização traz uma série de outros benefícios.

O primeiro deles é que o uso de uma plataforma contribui para a melhora da qualidade da gestão pública. O que isso significa? O sistema permite gerir os recursos e processos, alinhando-os.

Por exemplo, caso haja a necessidade de compras, o gestor terá acesso a um sistema que permitirá discriminar quais os gastos, mas também saberá como fazer a licitação. Isso reduz o preço da aquisição de produtos, auxiliando na otimização das despesas.

A eficiência é outro ponto a ser considerado, quando se trata de implementar a tecnologia no mercado. A ideia é de dar racionalidade, conceber arranjos que sejam institucionais simplificados e eficientes. Ou seja, evitar burocracias desnecessárias, mas também paralelismo de papéis.

Redução da burocracia

A tecnologia também proporciona à gestão de recursos superar os chamados obstáculos processuais, a fim de garantir o alcance dos objetivos predeterminados e reduzir burocracias. O principal objetivo é orientar os resultados e ter maior foco nas necessidades dos cidadãos.

A ferramenta funciona como um facilitador de tarefas, a fim de que os servidores possam trabalhar voltados ao atendimento mais próximo da população. Também, que não percam tempo com ações puramente operacionais.

Mais um bom motivo para a adoção de ferramentas modernas é que elas permitem melhorias contínuas no desenvolvimento institucional das organizações públicas e de seus sistemas. Elas partem do princípio de aprimoramento de estratégias, estruturas, mas também de processos.

De maneira geral, o sistema ajuda a trazer maior integração para as equipes que atuam nas repartições e que são responsáveis por gerir os recursos públicos. Assim, agregam maior qualificação ao cotidiano delas.

A aplicação da tecnologia na gestão pública ajuda na transposição dos desafios encontrados na alocação dos recursos públicos. Com isso, proporciona uma série de melhorias, não só na administração, mas também nas entregas.

E então, gostou deste conteúdo e quer saber mais sobre administração pública? Siga nossas páginas nas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter!