Segundo a última previsão do Gartner, os investimentos em TI no mercado brasileiro deverão chegar a R$ 266 bilhões em 2020, um crescimento de cerca de 2,5% em relação à 2019. O aumento se deve à percepção da tecnologia como um instrumento cada vez mais essencial nas empresas, tanto privadas quanto públicas.

Mas para que tal investimento valha de fato a pena, é preciso contar com colaboradores qualificados. No artigo a seguir você entenderá um pouco mais sobre a importância dos profissionais de TI em órgãos públicos e outros detalhes sobre o mercado. Confira!

O mercado de TI no Brasil

De acordo com uma pesquisa divulgada pela Brasscom, o mercado de TI poderá apresentar um déficit de quase 300 mil profissionais até 2024. E por que esse número é tão alto, mesmo diante de um quadro de desemprego de milhões de brasileiros? A área de TI é alicerce no funcionamento de todo tipo de organização, independentemente de ela ser privada ou pública.

A transformação digital deixou de ser apenas um assunto do mercado, mas uma mudança essencial. Todas as instituições devem caminhar para se tornarem tecnológicas, focando especialmente na jornada dos clientes. Para isso, é fundamental que os profissionais sejam qualificados para atender às demandas e garantir que não aconteça um apagão técnico, prejudicando toda a cadeia de produção.

O que acontece é que há milhares de formados, mas sem as qualificações essenciais para desempenhar as funções necessárias. Assim, a falta de profissionais atinge tanto o âmbito privado quanto o público.

O papel dos profissionais de TI em órgãos públicos

As tarefas de um profissional de TI nos órgãos públicos variam bastante conforme as tarefas demandadas pela instituição. Em alguns casos, o TI é a área fim, enquanto, em outros, é um setor estratégico, mas faz parte das atividades-meio da instituição. De maneira geral, as necessidades são bastante parecidas.

Entre as principais funções que dependem também da especialização do profissional, temos:

  • programador: que projeta, codifica, testa e documenta diferentes programas, criando códigos para que o computador execute determinada função — é necessário, nesse caso, que o profissional tenha conhecimento em linguagem de programação, matemática e raciocínio lógico;
  • técnico em TI: ele é responsável por prestar todo o suporte às equipes que atuam no órgão público, cabendo a eles também elaborar relatórios técnicos e oferecer soluções para potenciais problemas que estejam ligados à área de TI, bem como fazer a manutenção dos equipamentos utilizados pelos servidores;
  • analista de segurança: tal profissional é o encarregado por garantir a segurança informacional do órgão público, logo, precisa estar apto a criar ou executar sistemas e redes protegidos, a fim de que os dados só sejam acessados por usuários autorizados;
  • DBA: o Database Administrator, administrador da base de dados, é o responsável por gerir toda a base de dados, tendo acesso a informações confidenciais da instituição — por esse motivo, ele desempenha um papel parecido com o analista de segurança, mas com um adendo, que é a responsabilidade sobre a qualificação dos softwares contratados dentro da instituição.

Enfim, o profissional pode ter várias atuações, sendo esses alguns dos exemplos que encontramos no mercado quando se trata da atuação do TI.

A importância do profissional no segmento

Uma das características mais importantes para um profissional de TI é ter uma visão sistêmica do órgão público, ou seja, conhecer o todo, assumindo, assim, o papel de facilitador dentro do órgão público. Isso significa que cabe a ele apresentar as ferramentas tecnológicas de maneira que os outros servidores sintam que o ajudarão em seu dia a dia, tirando aquela imagem de algo inalcançável ou mesmo inacessível.

No entanto, não é só nesse ponto que o profissional de TI tem importância. Quando um colaborador qualificado atua no setor, é possível obter uma série de benefícios que abrangem toda equipe, a começar pela produtividade.

Sabe-se que um dos principais problemas do Brasil é a burocracia e a lentidão atrelada à máquina pública. Portanto, ter um profissional de TI é o caminho para proporcionar uma maior produtividade, justamente oferecendo suporte não só com o seu trabalho, mas com a inserção de uma cultura de uso de tecnologias mais eficientes e automatização de certas funções.

Sem contar que o TI também pode ser o responsável pelo monitoramento do uso de computadores no ambiente de trabalho e como isso impacta as demandas diárias. Afinal, os gestores precisam ter dados sobre boas práticas que ajudem a agilizar as tarefas, trazendo qualidade e eficácia ao serviço entregue à população.

Outro ponto importante da presença do profissional no setor público é com relação à segurança dos dados sensíveis da população. A gestão de TI permitirá ter uma atitude de prevenção diante de possíveis ameaças, analisando as que podem acontecer devido à vulnerabilidade de sistemas e também as falhas humanas, como o vazamento de arquivos.

A construção de uma carreira de TI em empresas públicas

A primeira questão a ser trabalha por aqueles que desejam ter uma carreira em empresas públicas é que, assim como acontece na iniciativa privada, o profissional tem focar em ser estratégico. Ou seja, conhecer as demandas do mercado e estar em constante atualização, a fim de oferecer o melhor trabalho em sua área.

Além de um curso de qualificação na área que vai trabalhar, lembrando que temos algumas divisões dentro da área de TI, o profissional deve estar em constante atualização. Por mais que um cargo público dê estabilidade, a qualidade do trabalho é avaliada constantemente, por isso, o melhor é se atualizar.

Outro ponto importante é conhecimento sobre gestão pública e compreensão sobre as particularidades do universo público, tais como burocracia, legislação, entre outros aspectos.

É preciso lembrar que, em se tratando de autarquias, há uma limitação de orçamento e as contas devem ser prestadas, pois se trata de dinheiro público. Logo, o profissional precisa estar ciente disso ao executar seu trabalho, por exemplo, no momento de definir a alocação de recursos na compra de autorizações de softwares.

De maneira geral, o profissional de TI em órgãos públicos, assim como qualquer servidor, deve ter em mente que o foco no setor público é beneficiar toda a sociedade, portanto, o seu trabalho é importante para manter a máquina pública funcionando. Sendo essencial, além da constante atualização, a busca por soluções cada vez mais eficientes e que ajudem a oferecer um serviço qualificado à sociedade.

Para continuar acompanhando conteúdos como este, não deixe de seguir a nossa página no Facebook! Lá você poderá ficar a par de todas as nossas novidades.