É impossível negar que a tecnologia assumiu um papel extremamente importante em nossas vidas. Desde questões simples de nosso dia a dia, por meio dos smartphones e seus aplicativos, até a dinâmica interna das empresas, não há lugar que não tenha sido alcançado pela internet e pelo mundo digital. No entanto, há algo ainda maior acontecendo. A transformação digital é um conceito que vem sendo abraçado por empresas que já compreendem o potencial de sua implementação. No setor público brasileiro, também vemos ações nesse sentido, seguindo a tendência dos países mais desenvolvidos.

Chegou a hora de mudar isso! Mostraremos aqui tudo o que você precisa saber sobre essa nova fase tecnológica, de que forma ela pode ser implementada no setor público e as vantagens trazidas por ela. Confira!

Entenda o que é a transformação digital

Para alguns, pensar em transformação digital aponta para a implementação da tecnologia em um ambiente de trabalho. Na verdade, estamos falando de algo que vai muito além de simplesmente contar com sistemas e soluções que facilitam processos que, antes, eram realizados de outra forma.

A transformação deve revolucionar até mesmo a dinâmica da empresa, sua cultura e seu modo de pensar. O próprio negócio deve ser colocado como pertencente ao mundo digital. Seus ativos digitais devem gerar valor para a empresa, fazer parte das relações e não só automatizar processos, mas influenciar na forma como eles são pensados.

Os próprios produtos devem ter a tecnologia como parte daquilo que oferecem. Em nosso dia a dia, podemos ver a Internet das Coisas (Internet of Things ou IoT) funcionando dessa forma. Esse conceito é aplicado aos mais variados equipamentos usados no nosso dia a dia para conectá-los à internet, incluindo eletrodomésticos, por exemplo.

Nas empresas privadas, o Cloud Computing (computação em nuvem) e Machine Learning são alguns exemplos de como o valor passa a estar relacionado ao mundo digital, em vez de simplesmente equipamentos mecânicos e eletrônicos.

A computação em nuvem transfere armazenamento e processamento de dados para um servidor online, enquanto Machine Learning é a técnica que utiliza inteligência artificial para que os softwares aprendam sozinhos e otimizem o próprio desempenho. Elas são ações bastante úteis para entender melhor as tendências de comportamento das pessoas e tomar decisões acertadas no processo de gestão.

E o setor público?

Se pensarmos na transformação digital como o caminho para melhorar o desempenho, aumentar o alcance da empresa e buscar melhores resultados, percebemos que uma mudança estrutural está atrelada a ela. Assim, não é apenas visando lucro que ela pode ser aplicada, mas também com foco em um serviço mais eficiente, menos custoso.

O setor público deve contar com os esforços de toda a sociedade para que seu funcionamento devolva justamente a ela os frutos de um trabalho bem-feito. Países como os Estados Unidos já possuem até agências focadas exclusivamente em dar suporte para que a gestão pública conte com o melhor que a tecnologia pode oferecer.

Mas isso não é uma exclusividade de países desenvolvidos. Dubai, nos Emirados Árabes, já apresentou um plano de transformação digital que, principalmente por meio da IoT, visa bilhões de dólares de impacto na administração pública para a próxima década.

Se pensarmos na realidade do Brasil, há uma ampla gama de possibilidades.

Aprenda a inovar no setor público

As especificidades político-econômicas do novo milênio exigem uma reavaliação das estratégias de gestão pública. Reduzir custos, otimizar práticas e atender às novas gerações sem deslocar as mais antigas são questões cada vez mais presentes no ambiente administrativo.

Pensando nisso, como é que essas ideias podem ser implementadas no setor público brasileiro, visando os objetivos políticos, econômicos e sociais? Podemos começar, por exemplo, solucionando grandes problemas que já deveriam ter sido deixados para trás.

No Brasil, o avanço da tecnologia já dá sinais de adentrar a gestão pública. Alguns setores ou ministérios assumem o uso de uma plataforma tecnológica para atender à população e buscam estender essa prática aos outros órgãos relacionados a esses processos.

Um ambiente de trabalho digital que conta com um banco de dados aberto, por exemplo, aumenta o poder de acesso da população às informações que ela busca. Essa é uma tendência mundial que vem crescendo, visando a democratização do acesso aos dados públicos.

Isso envolve, também, a cooperação com os processos em tramitação. A Nova Zelândia, por exemplo, já implementou um sistema que permite que a população edite uma proposta de processo criminal, mais ou menos nos mesmos moldes do Wikipédia. Trata-se de uma forma de levantar dados brutos do desejo popular e utilizá-los para que os especialistas cheguem a um resultado mais satisfatório.

Por onde começar?

O primeiro passo é, sem dúvidas, contratar softwares que solucionem questões pontuais. A própria forma de resolver problemas pode ser de cunho tecnológico. Nesse caso, a nuvem é um serviço que merece atenção especial. São significativas as possibilidades que ela oferece para melhorar a comunicação entre os funcionários, estejam onde estiverem. Ela ainda gera uma importante redução de custos com servidores e outros equipamentos.

Hackatons, aplicativos e soluções mobile vêm logo em seguida como ferramentas bastante úteis.

Conte com parceiros que sabem o que fazer

O serviço público, em relação ao privado, apresenta algumas particularidades para a implementação de novas ferramentas e tecnologias. Principalmente quando a mudança envolve uma modificação estrutural interna, é fundamental contar com especialistas no assunto.

O outsourcing é a forma mais segura de terceirizar esse processo, pois ele garante profissionais experientes e capacitados não só para realizar a compra de softwares, como também para garantir que sua implementação esteja de acordo com os critérios legais exigidos pelos órgãos públicos.

Entender a lógica dos repasses é importante para que transformação seja feita sob controle. Empresas especializadas possuem o know-how necessário para trabalhar com o que há de melhor no mercado, eliminando riscos de uma implementação ineficiente, assim como para garantir que não haja impedimento legal ao processo.

Sabemos que, nos dias de hoje, é essencial que os agentes públicos possam designar esforços para manter a sociedade ciente do trabalho que é realizado. Além de mais qualidade e segurança nessa fase de transição, o outsourcing permite que o setor público mantenha um planejamento de marketing que, entendendo melhor as demandas da população, atue em campanhas que conscientizem as pessoas sobre o trabalho que está sendo feito sobre isso.

Assim, a transformação digital pode ser um processo natural e tranquilo para que o desempenho do setor público possa ser elevado a um novo patamar!

E aí, gostou do nosso post? Então inscreva-se em nossa newsletter e receba outros conteúdos sobre o tema diretamente no seu e-mail!