A alimentação é um aspecto fundamental para os estudantes terem um bom desempenho na escola. Isso se justifica porque um aluno bem nutrido terá mais condições de assimilar o conteúdo apresentado em sala de aula. Pensando nisso, de que maneira é viável oferecer refeições de qualidade sem desperdício de dinheiro público? A resposta é investir em um sistema de merenda.

Hoje, os gestores devem controlar o que está sendo gasto para verificar se os recursos financeiros estão sendo devidamente utilizados. Essa postura também contribui para a administração ser mais eficiente e transparente, o que agrada muito à população.

Neste post, vamos destacar os problemas enfrentados pelos estados e municípios para fornecer refeições de qualidade nos colégios, a importância de uma ferramenta para gerenciar a oferta de merenda e as funcionalidades do sistema Cheff Escolar. Confira!

Entenda os desafios para conquistar uma merenda de qualidade

Em um cenário de escassez de dinheiro, as verbas públicas devem ser muito bem administradas para que os serviços disponibilizados aos cidadãos sejam de qualidade. No caso da merenda escolar, isso não é diferente.

É preciso ter muito cuidado para não haver erros no cálculo do valor repassado às escolas para comprar as refeições. Afinal, o desempenho do aluno pode ser comprometido caso ele não tenha uma boa alimentação.

Para evitar algum equívoco nessa soma, são consideradas informações do censo escolar do ano anterior, por exemplo:

  • quantitativo de alunos de cada unidade;
  • número de dias letivos;
  • nível de ensino (fundamental ou médio);
  • período na escola (parcial ou integral).

Cardápio

Muitas escolas também enfrentam dificuldades para montar o cardápio dentro das regras do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Essa situação acontece por uma série de motivos, como:

  • escassez de recursos financeiros;
  • falta de uma análise mais criteriosa das normas;
  • ausência de um estudo dos hábitos alimentares dos alunos;
  • dificuldades de atender às demandas dos estudantes com necessidades especiais;
  • estrutura ruim das cozinhas em alguns colégios.

Burocracia

O setor público precisa oferecer um serviço de qualidade por um preço acessível. Por isso, adota a licitação para a compra de merenda escolar. Essa iniciativa é importante para economizar, mas exige muito cuidado para evitar erros durante o processo licitatório.

Por exemplo, uma empresa pode apresentar uma excelente proposta. Mas, dependendo da modalidade de licitação, ela pode ser desclassificada por não apresentar a documentação em tempo hábil. Isso pode gerar um atraso na entrega dos alimentos nos colégios caso não haja uma boa organização.

Outro aspecto importante é comprovar o uso dos recursos. Na prestação de contas, é essencial apresentar as notas fiscais de todas as compras realizadas. Além disso, deve haver um bom acompanhamento do saldo do contrato para controlar os gastos.

Escassez

A crise econômica afetou principalmente o setor público que apresenta enormes dificuldades para dar conta de uma demanda cada vez maior por serviços essenciais (saúde, educação e segurança).

Esse cenário também é visto nas escolas. Após 7 anos, a União aumentou os valores repassados para os estados e os municípios investirem em merenda escolar. O reajuste será de 20% e vai contemplar estudantes dos Ensinos Fundamental e Médio, que representam 71% dos beneficiados pelo PNAE.

Esse longo período sem aumento no repasse de verbas da União é um fator que dificulta os estados e os municípios a oferecerem uma alimentação de qualidade aos alunos. Para minimizar os problemas com a falta de recursos financeiros, é fundamental ter uma gestão equilibrada que tenha informações de qualidade e em tempo real das receitas e das despesas.

Saiba como um sistema de merenda escolar pode contribuir

Acompanhar o avanço tecnológico é uma atitude consciente e moderna tanto na administração pública quanto na iniciativa privada. Será que investir em um software para gerenciar o fornecimento de refeições nas escolas é uma boa alternativa?

A resposta é sim, porque possibilita uma instituição de ensino a fazer uma série de atividades, como:

  • montar os pratos com base no gosto dos estudantes;
  • elaborar refeições com a quantidade adequada de nutrientes;
  • oferecer os alimentos na medida certa, evitando o desperdício;
  • gerenciar os gastos com merenda escolar;
  • facilitar a prestação de contas.

No estado do Mato Grosso do Sul, a administração eficiente da merenda escolar é uma realidade. Mais de 500 gestores de escolas da rede estadual de ensino já foram capacitados para utilizar o sistema Cheff Escolar, que prioriza uma alimentação de qualidade nos colégios com o uso adequado do dinheiro público.

Os dirigentes receberam informações sobre como usar a ferramenta para seguir as regras do PNAE. Dessa forma, estão mais aptos a fazer uma série de atividades, por exemplo:

  • organizar o processo licitatório;
  • comprar mercadorias com base no orçamento estipulado pelo PROCON-MS;
  • fazer o cálculo automático do repasse de verbas para cada colégio;
  • validar as notas fiscais;
  • ter mais agilidade na correção de eventuais falhas.

Conheça o Cheff Escolar

Você já conheceu alguns benefícios desse sistema. Contudo, é interessante compreender melhor como a ferramenta pode melhorar a gestão. Para fazer o cálculo automático do repasse de verbas para as escolas, o software importa os dados do censo escolar do ano anterior, o que evita qualquer tipo de erro.

Em relação à montagem dos cardápios, o Cheff Escolar analisa as preferências alimentares dos alunos e sugere a elaboração de pratos diversificados que também contempla os estudantes com restrições alimentares.

O sistema ainda acompanha a execução dos contratos e a prestação de contas, pois identifica o andamento das ações em cada colégio e possui dados sobre os processos licitatórios.

Outro benefício é facilitar o encaminhamento de informações para o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) pela Secretaria de Estado de Educação. Isso é possível porque o software gera, com rapidez, os arquivos necessários para o envio dos dados solicitados evitando o trabalho manual e reduzindo erros.

Segundo o velho ditado popular: os números não mentem. Pensando nisso, veja alguns resultados do Cheff Escolar:

  • reduz em 99% o tempo de conferência das notas fiscais;
  • diminui em 97% a produção de documentos para a chamada pública;
  • resolve 82% dos chamados de suporte no primeiro atendimento;
  • elabora o cardápio 99% mais rápido do que no modelo tradicional.

Com certeza, você já sabe que pode obter excelentes resultados com um sistema de merenda. Por isso, conheça agora mesmo todos os recursos do Cheff Escolar. Não perca a oportunidade de fazer uma gestão mais eficiente dos recursos públicos e proporcionar mais qualidade de vida aos estudantes!