A gestão pública precisa dar respostas mais rápidas à sociedade, porque as demandas por melhores serviços crescem a cada dia. Sem dúvida, o hackathon é uma das alternativas para unir agilidade e qualidade em criar soluções que possam contribuir com a qualidade de vida da população.

Essa prática é bastante comum no setor de tecnologia da informação e comunicação e envolve profissionais de diversas áreas para desenvolverem juntos produtos ou serviços que têm como foco o bem-estar dos cidadãos.

Neste post, vamos detalhar melhor esse conceito e mostrar como essa iniciativa pode ser aproveitada pela administração pública. Confira!

Entenda o que é hackathon

É muito comum definir o hackathon como uma maratona de programação em que desenvolvedores de software, designers e outros profissionais se reúnem para elaborar um sistema ou aplicativo para melhorar a performance de uma organização.

Por outro lado, esse evento também pode ser considerado uma grande oportunidade de integrar os colaboradores com diversos segmentos do público-alvo e reforçar aspectos que precisam ser aperfeiçoados em uma instituição, por exemplo:

  • foco na inovação;
  • espírito de equipe;
  • valorização do planejamento;
  • capacidade de liderança;
  • mais abertura para o aprendizado;
  • desenvolvimento ágil.

Em um hackathon, as equipes que apresentam as melhores ideias recebem prêmios. Há uma disputa para selecionar a melhor alternativa para uma organização ter mais condições de contemplar as necessidades internas e as dos clientes.

Veja como criar um hackathon

O planejamento é fundamental para que o evento alcance os resultados desejados. A recomendação é definir os objetivos que devem ser alcançados (fortalecimento da marca, criação de novos produtos etc.).

Outra medida interessante é estipular o local e a data do evento. Dependendo do tempo de duração, o ideal é que haja um espaço para os participantes dormirem e descansarem. Além disso, deve haver uma boa infraestrutura tecnológica, que permita o acesso à internet em alta velocidade.

Com a intenção de atrair mais participantes, os organizadores devem estipular as regras e as premiações de maneira clara. Isso mostra que o evento será realizado com bastante seriedade e transparência.

Há diversas finalidades para uma instituição promover um hackathon. As mais utilizadas são:

  • desenvolvimento de softwares;
  • busca por inovações corporativas;
  • recrutamento de novos profissionais;
  • foco em aumentar o nível de engajamento dos colaboradores;
  • melhoria da qualidade dos produtos e serviços oferecidos.

A velocidade e o impacto das mudanças no mundo corporativo e na sociedade exigem que as organizações estejam mais abertas à troca de experiências. Nesse cenário, o hackathon se mostra como uma opção válida para inovar e conquistar uma posição de prestígio no mercado.

Compreenda como essa prática pode ser inserida no serviço público

As ideias inovadoras devem fazer parte da administração pública. Com certeza, a população quer serviços mais qualificados e de fácil acesso.

Perder muito tempo para abrir uma empresa ou demorar bastante para agendar uma consulta médica é um fator que mostra uma grande dificuldade em executar ações voltadas para as demandas sociais.

Com o avanço tecnológico, o setor público está envolvido em um grande desafio: colocar em prática o conceito de Smart Cities (Cidades Inteligentes).

No Brasil, o Governo Federal lançou o programa Cidades Digitais, que prioriza modernizar a gestão pública, democratizar o acesso aos serviços públicos e melhorar a qualidade de vida dos brasileiros.

Para isso, está, em parceria com os municípios, investindo em recursos tecnológicos que abrangem diversos segmentos, como:

  • implantação de redes de fibra óptica para conectar os órgãos públicos para aumentar a velocidade do acesso às informações;
  • desenvolvimento de soluções para facilitar a utilização dos serviços públicos;
  • expansão dos locais de acesso gratuito à rede mundial de computadores;
  • capacitação do servidor público para o uso de novas ferramentas tecnológicas.

Você pode estar se perguntando sobre a relação de um hackathon com as novas tendências da administração pública nacional. Pensando nisso, vamos apontar segmentos em que a reunião de servidores públicos com diversos atores sociais pode proporcionar benefícios para a sociedade. Acompanhe:

Mobilidade urbana

Por que não desenvolver um aplicativo que informe aos moradores o horário de chegada dos ônibus nos pontos? Outra medida interessante é acompanhar o tempo de viagem, adotando recursos como o GPS.

Meio ambiente

Ter um controle mais eficiente da coleta de lixo e monitorar o nível de poluição do ar com mais exatidão são objetivos que podem ser almejados pelo setor público. Para isso, o desenvolvimento de sistemas e o uso de equipamentos de TI são essenciais.

Eficiência energética

Em um momento de escassez de recursos financeiros, apostar em ações para reduzir os gastos é uma boa medida. Um gestor público inteligente pode investir em um novo sistema de iluminação com LED e adotar softwares que podem acompanhar o consumo em tempo real.

Saúde

O cidadão quer facilidade no acesso aos serviços públicos. Hoje, algumas prefeituras já adotam aplicativos para o agendamento de consultas e o envio de notificações sobre medidas para evitar a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue.

Outra iniciativa é a implantação de prontuários eletrônicos unificados que facilitam o acompanhamento dos pacientes com dados sobre vacinas, exames e consultas médicas.

Segurança pública

Muitas cidades apresentam sistemas de videomonitoramento que permitem acompanhar, em tempo real, o movimento de veículos e de pedestres. Quanto mais softwares que disponibilizam esse serviço existirem, melhor será a identificação dos que cometem infrações de trânsito, furtos ou roubos.

Também estão sendo utilizados aplicativos para melhorar a comunicação entre os cidadãos e as autoridades policiais, facilitando o combate ao crime.

Confira exemplos de hackathons no setor público

O hackathon está sendo cada vez mais adotado pela administração pública. Um bom exemplo é o Ministério da Educação (MEC). Em 2017, o órgão promoveu uma maratona de programação e de debates sobre novas ideias.

Em primeiro lugar, ficou um projeto que desenvolveu uma API, recurso que permite acesso direto a uma base de dados do MEC de maneira atualizada. A ação propicia localizar as informações com mais facilidade e desenvolver programas que podem contribuir para a melhoria da qualidade do ensino.

Em 2017, a Câmara Municipal de São Paulo também realizou um hackathon. A meta foi criar alternativas para melhorar a fiscalização dos gastos públicos. O projeto vencedor elaborou softwares para facilitar o combate à corrupção por meio de dados públicos fornecidos pelos portais de Transparência da Câmara e da Prefeitura da capital paulista.

Se você considera o hackathon um recurso interessante para modernizar a gestão pública, não deixe de conhecer 6 tecnologias que vão transformar o serviço público. Afinal, o conhecimento sempre nos ajuda a evoluir!