A transformação digital impôs uma série de benefícios ao mercado. Assim como as organizações tiveram que adaptar o seu modelo de gestão, a administração pública também foi impactada. Aliás, com as exigências modernas por mais transparência na prestação de contas, agilidade nos processos e descomplicação em meio a burocracias, as inovações passaram a ter um peso gigantesco.

A ideia deste artigo é justamente oferecer um panorama sobre a importância das inovações em TI e seu impacto no setor público. Confira!

A importância das inovações em TI para o setor público

Segundo um estudo da Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação (Abep), a cada R$1 investido em TI, os governos estaduais conseguem economizar em média R$9,79 no ano seguinte à implementação das tecnologias. O número representa a importância da inovação no setor público e seu impacto na redução de custos.

As ferramentas modernas tendem a ser mais intuitivas, reduzindo as necessidades de longos treinamentos de servidores, o que gera gastos. Além disso, elas disponibilizam  um maior número de funcionalidades, otimizando o trabalho e ajudando a trazer maior escalabilidade aos processos internos.

A possibilidade de gerenciar o trabalho de maneira mais qualificada acaba levando à maior produtividade da equipe. Ou seja, ela consegue realizar mais tarefas em menos tempo e entregar mais qualidade no atendimento à população como um todo. Afinal, estamos falando de uma metodologia moderna, sendo que o servidor não precisa acessar um sistema completamente ultrapassado e pouco responsivo.

As inovações em TI também oferecem outro ganho, que é uma maior segurança dos processos, que precisam atender a normas rígidas a fim de manter a ordem. As novas tecnologias garantem menos riscos no manuseamento de dados, interligando diferentes setores e dificultando a invasão de sistemas.

Principais tendências em TI

Os efeitos produzidos no setor público pelas inovações em TI são importantes para oferecer maior confiabilidade nos processos da gestão governamental. A redução de custos, o gerenciamento qualificado e também a segurança dos processos só são possíveis graças às ferramentas utilizadas. Confira a seguir algumas das principais tendências em inovações tecnológicas!

Inteligência Artificial

A inteligência artificial já tem criado um grupo novo de dispositivos, sejam eles físicos, softwares ou mesmo serviços de inteligência incorporada. Eles têm a capacidade de interação, resolução de tarefas e aprendizado de forma autônoma.

Desde serviços como chatbots (que ajudam a oferecer um suporte para o esclarecimento de dúvidas da população) até a inserção de veículos autônomos nas ruas (para a fiscalização de trânsito, de problemas de tráfego e identificação de riscos de segurança) existem diferentes maneiras de aplicar a IA no setor público.

Big Data

Outra inovação em TI que vale a pena estar atento no que diz respeito à gestão pública é o Big Data. Ele ajuda a analisar um grande volume de dados com agilidade, o que serve para a extração de insights e informações estratégicas para a administração pública.

Por exemplo, hoje, já encontramos recursos em sistemas baseados em data mining, que é capaz de identificar inconsistências nas receitas. A ideia é evitar a evasão de divisas, bem como a sonegação de impostos.

Machine Learning

O machine learning, ou aprendizado pela máquina, é uma tecnologia em que o próprio sistema reconhece padrões e prevê, com elevado nível de precisão, certos comandos, a fim de reproduzi-los posteriormente.

Na gestão política, órgãos como a Controladoria-Geral da União (CGU) já usam a tecnologia para avaliar de maneira automática a prestação de contas em transferências voluntárias da União. A ideia é trazer maior celeridade na apuração de inconformidades, evitando fraudes nos contratos de repasse.

Implementação da inovação no setor público

O primeiro passo para a implementação de sucesso no setor público é por meio da conscientização sobre o impacto que as novas tecnologias têm na administração pública. Não só os gestores, mas também os servidores, devem compreender que os sistemas modernos vieram escalar o trabalho e ajudar a aumentar a qualidade do atendimento à população, e não tirar o emprego deles.

Após a conscientização, vem a fase de escolha das inovações em TI que mais se encaixem nas demandas do órgão. Nem sempre um sistema com dezenas de funcionalidade é necessário. Às vezes, adotá-lo poderá trazer mais trabalho para a equipe que precisará aprender a manusear diferentes elementos. Sem contar que o custo de uma aplicação do tipo pode ser oneroso, visto que nem todas as funções são usadas. Após a escolha tem o processo de licitação do software, seguido pelo treinamento de colaboradores.

As organizações públicas que buscam a inovação costumam gerar impactos diretos e indiretos nos ambientes interno e externo, agregando uma maior percepção de valor entre seus stakeholders.

Perspectiva para os próximos anos

A perspectiva é que o setor público seja cada vez mais “pressionado” a buscar caminhos mais eficientes no atendimento do público e na prestação de serviços. A ideia é que órgãos federais avancem na disponibilidade dos serviços por meio do cloud, garantindo uma outra vantagem que é a mobilidade para o cidadão. Ou seja, nos próximos anos será cada vez mais comum acessar documentos, processos e realizar uma série de consultas por meio do celular.

Daqui há algum tempo é esperado também que determinados tipos de julgamentos, como aqueles que têm processos mais simples, possam ser feitos por meio de Big Data, que lerá as informações e identificará o tipo de ocasião. Claro, para que isso aconteça será necessária uma maior maturidade do setor e o aperfeiçoamento das funções de capturamento, armazenamento e gerenciamento de informações.

Além disso, será preciso investir em infraestrutura física. Apesar de o cloud computing ser a tendência para os próximos anos, o aumento no percentual de órgãos públicos que utilizam a tecnologia em nuvem deverá ser diretamente proporcional à expansão de data centers capazes de armazenar todas essas informações.

As inovações em TI para a gestão pública têm um peso gigantesco no contexto atual. Aqueles órgãos públicos que não se atualizarem e digitalizarem os serviços tendem a perder a agilidade, produtividade e eficácia no atendimento das necessidades e demandas da população.

Que tal compartilhar este artigo nas suas mídias sociais? Assim, mais pessoas da sua rede de contatos poderão entender sobre as perspectivas futuras da gestão pública!